10 de jun de 2009

Teu Nome

Sobe os auspícios do vento,
teu nome ecoa mar adentro.
Das terras sagradas,
Cristo te emprestou uma parte.
Da terra dos Czares,
em grafia francesa
veio então outra parte.
Na terra de Santa Cruz,
nas campinas da Geraes,
a muito tempo atrás;
plantaram assim sua semente
seus mais remotos ancestrais.

Trilhar teu nome
é profissão de fé,
é chama que me consome!
Procuro teus lábios,
mesmo que a pé,
na multidão entre os rostos vários.
Me ajoelho diante da sé
e pergunto a Deus como é?
O caminho que leva ti!

Então o coração bate
explode a razão de Descartes!
Num infinito instante
só há teu nome.
Cristiane!