29 de nov de 2009

Madrugada

Na Madrugada calorenta
o suor que escorre a face,
se confunde com lágrima,
apesar que tristeza não há,
só lembrança emocionada,
alegria no corpo espalhada.
A brisa suave na goiabeira
me faz lembrar de primeira,
como o vento beija teus cabelos
te deixando mais bonita e faceira.
A Madrugada se despede
com raio de sol que toca a pele,
parece um carinho teu,
como o calor de amor
que no inverno você me deu,
quem sabe ao sol pediu
para me entregar este afago seu,
para dizer de mansinho
que estais a caminho!

(Para Cristiane)

28 de nov de 2009

Um Mundo no Coração

Uma vontade de saber,
a vocação do conhecer,
intuito de desbravar
os caminhos que ainda percorrerá.

Coração de menina
que não cabe no peito,
o querer este ilumina,
e ai não tem jeito,

sai em busca do mundo,
que as vezes está numa esquina,
num samba de amor profundo,

no versar de um poeta,
que quer deixar sua alma repleta
de alegria , gozo e festa!

(Para Cristiane)

27 de nov de 2009

Nossos Sonhos

O mar lambendo suas pernas,
eu te segurando pelos quadris,
dentro das águas do mar, eternas,
você me beijando feliz.

A Praça Vermelha,
refletida na sua bochecha,
rubra como este lugar,
você no centro dela a rodopiar.

Um canto para descansar,
e uma rede para balançar,
falando de filósofos,

alguns talvez já mortos.
E é muito bom depois do amor feito
ouvir suas palavras pertinho do peito!

(Para Cristiane)

Meus Sonhos

Quando era pequenino
meu sonho era ser amigo do Pedrinho,
estar no Sitio do Pica- pau amarelo,
aprender com Visconde de Sabugosa
e participar daquela aventura fabulosa.

Na adolescência queria a guitarra
fazer de notas minha estrada,
também tinha tatame e Judô,
no final da tarde os papos com meu avô.

Já adulto,
a História e velho mundo,
passear pelos pilares do saber,
ver a pedra que fez tudo nascer,
da humanidade obscuro alvorecer.

Nisso tudo sempre trouxe
um versar onde o mundo coube,
mas agora tudo é desmedida,
pois meu coração bate por uma menina,
uma bela Professora, Moça de Minas.

Nestes versos tento mensurar,
o quanto é bom à amar,
em sonho tento relembrar,
mas nada que eu possa falar
é mais poderoso que seu beijar!

(Para Cristiane)

26 de nov de 2009

Andar em Poesia

Cruzar a montanha
mesmo que seja uma façanha,
falar da alegria, da doce manha,
dizer do prazer e ardor,
pois na paixão nada se estranha,
do verso fazer um louvor.
Todo dia render uma homenagem
a essa recorrente imagem,
do amor de Musa e Poeta,
que nem sempre é estrada reta,
mas que tem uma meta,
fazer o amor andar em poesia,
fazer poesia ser amor de todo dia!

(Para Cristiane)

25 de nov de 2009

Todas as palavras do mundo

Há muito tempo
quando este era pouco,
alguém disse “um”,
disse “nós” um outro,
o diálogo foi composto.
Quando o tempo era médio,
muitos eram os sortilégios
e Deus para tudo era remédio,
palavra era levada muito a sério.
Hoje que o tempo é grande
elas se perdem no instante,
mas as dou o valor do infante,
as amalgamando triunfante.
Sei que nem todas juntas
dão conta da emoção profunda,
que à idéia racional bagunça,
que ao coração traz linda mudança.
Tento ser delas menestrel
para te adoçar a boca com mel,
e dizer “Eu te amo”
através do mero papel.

(Para Cristiane)

24 de nov de 2009

O Mar e o Poeta

Nas águas do mar deposito meu verso,
e a elas peço que façam o caminho reverso,
subam esse imenso e lindo continente,
sigam os caminhos do rio de modo diferente,
lambendo as montanhas e o coração das Geraes,
de onde tiro inspiração e meu frasear se refaz.
Que as águas da montanha entreguem a ti musa,
os retalhos de poesia que compõem nossa musica,
que irá ressoar nesse verão e carnaval,
contigo alegre dançando como um vendaval
transformando os ânimos em novo astral.
Para de novo a água o rio descer,
e num barco de flores a correnteza te trazer,
então o mar e seu poeta você rever!

(Para Cristiane)

23 de nov de 2009

Inevitável

Como dia que irrompe a noite,
como a faisca que dá chama a fogueira,
como o fermento faz crescer o bolo da doceira,
como beija- flor que a rosa faz a corte.

Depois de beijar- te é inevitável
não sentir esse tremor inflamável,
um calor aconchegante e confortável,
um instante onde tudo é infindável.

Mesmo que o momento seja rápido,
deixa sempre de amor um legado,
toda vez que nosso abraço é lembrado,

toda vez que meu retrato olha
sentes umidade que te molha,
pétala de saudade de que és senhora.

(Para Cristiane)

22 de nov de 2009

Acordar com Você

Dormi um sono feliz,
sonhei com tudo que me diz,
do teu amor que sou aprendiz.
E mesmo os lençóis vazios,
a memória de ti é como rio,
que leva teu beijar a meus lábios,
que leva teu desejo a meu corpo,
nos deixando em prazer absortos.
A água desse rio nos envolve,
todos os sentidos comove,
para chegar no mar que é testemunha
desse amor perene que nos inunda,
da paixão que renasce profunda
pois toda a manhã traz uma poesia,
para no coração acordar contigo em alegria!

(Para Cristiane)

21 de nov de 2009

Um chope na Lapa

Não é Ipanema,
mas também existe menina
que vem e que passa,
mas minha mente está em minas,
numa senhorinha que me arrebata!
Pim, Pim....
sinto um temor em mim,
além da natural saudade,
vibra no bolso o celular,
confiro a nova mensagem
morto de curiosidade,
ela diz que quer beijar,
com vontade de mim está,
mas não tarda a hora de encontrar,
e nessa cidade fazer nosso amar.
Dou mais um gole no chope,
penso que sua boca fosse,
e feliz e contente fico,
pois ama-la é tudo de que preciso!

(Para Cristiane)

20 de nov de 2009

Alvorecer

Na sua cama vazia,
mas repleta de poesia,
pois te penetrei
com a palavra minha.
No alvorecer
estou com você,
na memória do corpo
em furor louco tomado,
pelo falar ritmado
de desejo manifestado.
Um suspiro no espaço,
que tem endereço nos meus braços,
um murmúrio gemido
que em ti revela o amor expressivo.
De beijos e afagos o ensaio
que se faz mesmo a distancia,
pois todo detalhe é de relevância,
o que construímos em abundância,
se soma a vontade premente
de nos termos novamente.
Prenúncio do tempo de dizer
eu amo você!

(Para Cristiane)

19 de nov de 2009

Professora Estudante

Onde muitos podiam
dar-se por satisfeitos,
ela vai mais adiante.
Onde descanso seria direito,
ela leva a estrada avante.
Uma nova prova,
uma idéia nova,
para fazer seu mundo rodar,
para melhor o horizonte olhar,
para à suas crianças melhor falar.
A este Poeta é missão registrar,
como seu caminho ela faz ao andar,
e como atenção e carinho a todos ela dá.
No coração do poeta amor ela planta,
com o sol nascente todo dia se levanta
a poesia que tanto a encanta.

(Para Cristiane, Professora, menina e estudante, sempre!)

18 de nov de 2009

Sinapse

Uma centelha,
vem aqui detrás da orelha,
pega a nuca inteira,
escorre pela coluna,
o fundo do estômago
revolve e desarruma.
Dispara as sinapses,
do cérebro em eletricidade,
mas no coração tem seu apse,
toda vez que ouço o celular tocar
toda vez que ouço você me chamar
para sons de amor contigo trocar!

(Para Cristiane)

17 de nov de 2009

Presença

Não faz a menor diferença,
se de longe, ou de perto,
se há ou não nos princípios crença,
nessa partida não importa quem vença,
somos ambos vencedores do afeto,
que virou amor na alma repleto.
Desejo imenso, inconteste,
no beijo de Sexta feira que tu me deste,
prova acima de qualquer teste
que para ser feliz no mundo vieste!
Tua presença está no meu peito,
mesmo quando vazio nosso leito,
giro o anel e em ti me deleito,
sei que relê nossa poesia em proveito
dos dias que estão por vir,
para de novo nos meus braços você sorrir!

(Para Cristiane)

15 de nov de 2009

Diálogo

De palavras digitadas,
de palavras declamadas,
de palavras suspiradas,
para então não ser mais só palavra.

Ser atitude no corpo espalhada,
bailar de mãos entrelaçadas,
o procurar de lábios ressequidos,
no amanhecer de nossa libido.

Saciar essa sede atroz
sorver o liquido que sai de nós,
transcender com gemidos de tua voz,

sabendo que em cada gozo
morres e revives de novo,
pela mão desse amor virtuoso!

(Para Cristiane)

Carta de Amor

Em algum lugar,
numa escola, num bar,
alguém está a sussurrar,
palavras para o papel registrar.

Uma alma toca a outra,
um bit eletrônico vai levar,
vai fazer com que quase ouça
o que o poeta quer declamar.

Nesta rimada carta,
envia de forma exata
todo o amor que guarda,

nos lábios, no tronco, nos membros,
pois já vem o calor de dezembro,
e de febre poética este , por ti, está ardendo!

(Para Cristiane)

14 de nov de 2009

Saudade Brasileira II

Ai um feijão tropeiro!
Um abraço apertado de desejo,
de minas os vários temperos,
no teu olhar perspicaz e faceiro,
os caminhos do teu corpo eu vejo!

Ploft, Ploft....
a jabuticaba na boca explode,
lembro de todos os teus cheiros,
da ansiedade da espera,
que exala acre quimera,
do limão verde cítrico,
que é nosso caminho percorrido,
do jasmim doce e puro,
que é a alegria que sai do escuro,
quando de manhã
te vejo chegar no meu mundo!

E tudo que é saudade
se transforma em vontade,
de no teu inovador querer
encontrar forma de viver.

( Para Cristiane)

13 de nov de 2009

Sanidade

Todos procuramos realidade,
na vida não ter maldade,
encontrar de alguma forma a felicidade,
e manter da mente a sanidade.

Mas o que será de uma pessoa,
se na vida não fizer uma atitude louca?
É a lição que nos deu Pascal,
homem da matemática e racional,

nos disse de maneira descomunal
que o amor tem razão sem igual,
fora das normas , fora do banal.

Aqui só faço verso louco!
Para dizer como num estouro,
na minha alma te tenho e te ouço!

(Para Cristiane)

12 de nov de 2009

Acordar sem você

Não há vazio,
o que seria esperado,
só no ouvido um assobio
de amor sussurrado.
Pois o anel está
no meu dedo grudado,
e meu forte coração
tem sua pele roçado.
Não importa o quanto
podemos estar afastados,
trazemos na alma e no corpo
a memória de beijos atados.
Na verdade só acordo
sem a noção do tempo de te ver,
mas fecho os olhos
e tenho tudo de você!

(Para Cristiane)

11 de nov de 2009

Novela

Santa Janete Clair!
Me diz dessa mulher,
ela é minha musa querida
o que de melhor há nessa vida!
Mas está tão indecisa,
no peito traz uma ferida,
conciliar seus desejos e sua família.
- Meu querido Poeta
só sou uma autora de novela,
minhas mocinhas eram muito espertas,
choravam e faziam drama na dose certa,
no final eu dava um jeito
e todas da felicidade tinham proveito.
- Te dou só um conselho:
Ame! Ame e seja intenso!
Pois paixão em ti reconheço,
e disso que amor é feito,
das telas ele sai em cada beijo
que você da na sua musa com efeito.
Obrigado dama da dramaturgia,
vou continuar com minha apologia,
dessa Moça Musa Menina,
que guardadinha lá nas trilhas de Minas,
aqui no mar a cabeça do Poeta desatina!

(Para Cristiane)

10 de nov de 2009

Trim

É um barulhinho assim
que causa um arrepio em mim,
pois é sineta moderna,
pode ser melodia ou alerta,
mas uma coisa é certa,
traz uma noticia que se espera.
No celular ou no computador,
traz aviso do meu amor,
as vezes também um sinal de dor,
mas não importa e seja como for,
nesse mundo de hoje, veloz,
ele me traz sua voz,
e posso ouvir seu doce gemido
quando para ti recito
todo o ardor no peito contido.
Trim.....
Que bom estar aqui contigo!

(Para Cristiane)

9 de nov de 2009

Você Sabe

Você sabe....
Da alegria das crianças
no pátio a brincar e correr,
pelo alvi- negro torcer,
do chope, do samba e da dança,
das amigas no Liberdade
conversando em doce cumplicidade.
Você sabe....
da dor de não ter o quê comer,
ver quem se ama sofrer,
andar uma milha inteira,
para ter a aula rotineira.
Como manter é preciso
tudo que conquistou
com muito sacrifício.
Você sabe....
que viver sem paixão
é como perder das coisas o sentido,
é como comer só para estar nutrido,
é como só viver de pão.
Você sabe....
que tens todas as chaves
para as portas e os enclaves,
que o destino te propõem.
Para optar basta ter coragem.
Você sabe...
como é bom amanhecer
entrelaçada no meu ser,
aos beijos bem dizer:
- Como é bom amar Você!

(Para Cristiane)

8 de nov de 2009

Minha poesia para ti

Minha poesia... É sim,
mas antes não tinha um fim,
era como passarinho no jardim,
cantando distraído uma canção do Tim.

Agora ele gorjeia mais que o sabiá,
pois uma menina veio ensinar,
que amor é que faz mudar,
e nele todas as melodias se fazem soar.

A poesia também virou sua,
tomou conta da escola, da casa e da rua,
nos deixou alma revelada e nua,

e tudo que a ti dedico
sinto que um marco finco,
sinal do amor que por ti sinto.

(Para Cristiane)

7 de nov de 2009

Da Musa da Lapa

Neste lugar que encanta e agrada
as gerações por ela passam
desfilando sua fúria e graça
nestas calçadas emoções caçam.

Eu observador astuto
só me distraiu um segundo,
entre um gole, um pensamento futuro,
pois alguma coisa falta
aqui nesse pequeno mundo.

É um cheiro de jasmim- limão,
aquele que exala após o banho,
falta o sorrir que ganho,
toda vez que canto um refrão.

Falta uma Menina
que doce trouxe de Minas,
o ser que a poesia me instiga,
a fala que com as ruas da Lapa combina.

Mas a tecnologia vem em meu socorro
saco rápido o celular do bolso,
os carros e o transito são meu coro,
e digo na Lapa emocionado:

- Tudo isto é para ti!
Meu amor raro!
Musa em verdade lhe falo,
mesmo sem vir, aqui tu tens estado!

(Para Cristiane)

6 de nov de 2009

Biblioteca

Nessa biblioteca gélida
o que será que vou escrever?
Tenho alguns livros para ler,
sobre os homens e suas façanhas pérfidas.
No silencio ecoa um nome,
nas paginas que viro aparece e some,
na pausa curta e poética
de um pesquisador na biblioteca,
um estudante cercado pelo saber,
todo pensamento remete a você!
E penso como seria
o que você pensaria ,ou, diria
de todo que estou a transcrever.
Pois te amo, e bom dizer,
que apesar disso também
contigo quero Ter,
tudo que ao bom amar convém,
ouvir seu versar em prosa
dos pensamentos tomar nota.
Fazer um acervo dos seus beijos,
realizar seus sonhos e desejos,
gravar o menor lampejo
de teus risos e gracejos,
e sonhar com tudo que em ti vejo!

(Para Cristiane)

5 de nov de 2009

Saudade Brasileira

Saudade invenção portuguesa
que Pessoa versou com destreza,
um sentimento do amor distante
que no peito bate como antes.
Minha saudade é mais brasileira,
tem um cheiro de jabuticaba verdadeira,
se aplaca com um mero telefonema
de uma tal Moça Mineira.
Quando sei de sua felicidade
se ilumina toda a tarde,
os versos no papel se deitam,
como minha língua em seu dorso,
suas mãos meu rosto enfeitam,
firmando o beijo no meus lábios posto.
Toda essa saudade
só faz crescer a imensa vontade
de novo ver seus formosos pésinhos,
na areia da praia fazendo carinho!

(Para Cristiane)

4 de nov de 2009

Café com a Moça de Minas

Aquele acordar preguiçoso,
espreguiçar vagaroso,
no corpo ainda o rumor
da madrugada de amor.

Mas a hora do café não espera,
no hotel tudo tem hora certa,
assim já levanta esperta,
se veste com a roupa da véspera.

Café, café ela não toma
um suco bem gelado ela apronta,
parte o pão em pedacinhos,
deixa o miolo de ladinho.

Me olha com um sorriso
lê no meu rosto
e me propõem ao ouvido
voltarmos para o nosso quarto querido.

Lá fazemos reino nosso,
entrego meu corpo no teu corpo em ócio,
no vagar de lento e minucioso beijar,
e o tempo, languido, parece parar.

(Para Cristiane)

3 de nov de 2009

Musa Recolhida

Ah este samba!
Este samba não é de partida!
Só mas uma crisálida aturdida,
minha borboletinha não quer dar
as suas asas a primeira batida.
Natural minha musa estar recolhida,
como passarinho no ninho encolhida.
O mundo é grande nave que está de saída,
da medo no espaço estar perdida.
O Poeta lhe da garantia
que em toda essa imensidão
nunca largará da sua mão,
nova terra para colonização,
um mundo de amor e emoção
vão fazer do conteúdo que está no coração!

(Para Cristiane)

Amiga Esperta

Para essa nova e querida amiga
damos graças e fazemos muita figa,
para que esse sorriso sempre tenha no rosto,
para que sempre esteja com esse ar disposto.
Ela que anda pela Geraes
mas na Lapa também sabe o que faz,
conhece as duas Santa Teresa,
a do Rio de janeiro concerteza
e de BH que também é uma beleza!
Agradeço a esse amiga esperta
que empunhando arco e flecha
do cupido é bela acecla,
torce pelo amor da Musa e do Poeta.
Do samba da Beija- Flor em festa
ela faz sua alvorada de seresta,
mineira de nascença ninguém contesta,
mas no coração sua carioquice está confessa!

(Para a Grande amiga Rosalva)

2 de nov de 2009

Pensar, caminhar & filosofar

Tendo o céu como cobertura
no calçamento se faz a andadura,
a cabeça e os pensamentos a girar,
como os Peripatéticos* a andar me ponho,
sentimento, raciocínio e sonho,
tudo num só caldo a analisar me proponho.
Penso no seu sorriso
de tudo que necessito
é ver-te assim num lindo Domingo,
a rir como menina que vai ao circo.
Caminho, e cruzando a rua
vejo uma camisa alvi- negra,
não é do seu time a bandeira,
mas me lembro de ti toda faceira
no estádio vendo seu time ganhar
lutar pelo campeonato de toda a maneira.
Filosofo e no meu raciocínio
só há o imenso fascínio
por toda a tua linda ciência,
sua boca sugando a minha em saliência,
buscando no meu corpo mais e mais experiência.
Termino de caminhar suado,
pelo desejo inundado,
saber que depois de tudo que eu tenho estudado,
te querer e te amar é melhor que o mudo tem me dado!

*Peripatéticos eram filósofos gregos que ensinavam caminhando.

(Para Cristiane)

Sangue de Poeta

As vezes amarga a boca essa espera,
um sentimento que desassossega,
uma verdade sincera, mais que quimera,
no sangue está a palavra que se apega.
O poeta escreve para sua Moça Musa,
toda sua eloquência ele usa,
para dizer-lhe que não fique confusa,
o amar as vezes se faz de forma difusa,
mas todo dia ele está lá,
mesmo que se tente ignorar,
uma musica nos faz lembrar
dos beijos que se quer dar.
Por mais que estrada seja longa
e preciso nela poeta e musa andar,
por mais obstáculos nela se ponha,
a paixão faz com que se transponha,
e o amor se faça em manhã risonha!

(Para Cristiane)

1 de nov de 2009

Poeta em busca

Sei que de tropeços o caminho é feito
que alguns erros causam mal efeito,
que acreditar nos princípios é direito.
Mas o que fazer quando a lei
não conforta a emoção?
Não traduz mais o dia a dia então.
Minha busca é por ti,
por tudo que te faz feliz,
a bola, a poesia , o samba de raiz.
Uma menina aprendiz
que tu guiaste nas letras de giz,
fez ver que ler é bom como bala de anis.
Esse seu andar pela vida,
e toda a alegria que nela é contida,
é a matéria de minha poesia!
Só perdoa seu Poeta
por te amar demais,
pois essa é minha jornada audaz,
buscar esse amor que todo dia se faz.

(Para Cristiane)