17 de abr de 2010

O Mundo e os Homens

Desde do Egito antigo
quando Cleópatra
desafiou seus inimigos,
e morreu com mão
enfiada na cesta de figos.
O século e os homens
ditam nossas regras,
criam e destroem quimeras.
Mas sempre houve
um poeta, uma mulher
ou um louco revolucionário,
para dizer e fazer o contrário,
que um grande alivio nos trouxe,
de que o destino não fosse,
essa pedra cinzelada
pela mão pesada de Deus.
E este tão somente
nos deu corações e mentes,
livres de qualquer corrente.
Tão bondoso que não se espanta,
com o que tem o filósofo na garganta,
dizendo que ele já se foi e morreu.
De tantas normas que o homem cria,
altas instituições para lhe servir de guia,
este se perdeu na estrada vazia,
pois disse que o amor
não era o que mais queria,
e sim todas as coisas que ele construía.
E de novo nos ri o tempo dizendo:
Sempre há um poeta
com o coração ardendo,
que leva a poesia pelas entranhas das Geraes,
não arreda o pé e nem volta atrás,
pois no mundo onde o homem tudo faz,
a poesia escrita para a Moça que se ama,
é o que mantém viva da vida a chama!

(Para Cristiane)

12 de abr de 2010

Quando vejo a bola rolar em teu olhar

É como sonho de criança
que num lance tudo alcança,
a bola rolando no tapete verde,
você na corcunda dele,
os dois pressentindo
a alegria do gol eminente.
Quando balança a rede
vibram em puro deleite,
Pai e Filha gritam: Gol!
Como se fosse um louvor,
vibram com o estádio em ardor.
Toda vez que ouço você falar
de como gosta ver a bola rolar,
de como ama na torcida estar,
vejo no fundo do seu olhar,
a menina e o pai as mãos entrelaçar,
esperando o jogo começar.

(Para Cristiane e seu Pai – In Memorium- )

2 de abr de 2010

Palavras para Você

No começo busquei as palavras,
as frases e poemas dos mestres,
tudo que te sorrir fizesse.
Depois as fiz de minha lavra,
compreendi que a paixão tudo abarca,
e este amor forte e raro
devia vir ao papel
pela a invenção de meus vocábulos.
Tracei os mineiros montes
pela luz de tua fronte,
fui das grutas as campinas
guiado pelo teu sorriso de menina,
naveguei nas tuas duvidas
vi o mar revolto,
cheguei ao seguro porto
quando me deitei sobre teu corpo.
Por mais palavras que eu escreva,
tenho sempre a bela certeza,
de que essas três que canto,
exprimem toda tua alegria e pranto:
Eu te amo!

(Para Cristiane)