30 de nov de 2010

Tempo Vago

Vazio de um segundo,
um instante vagabundo,
ponto entre dois mundos,
alguns fumariam um cigarro,
eu penso, continuo estático.
Num leve cochilo
sonho e divago,
queria estar contigo,
calor do teu coração abrigo,
Sinto o frio desconcerto,
pois um tempo se perdeu no receio,
de não saber viver,
de saber poder,
em outra estação renascer,
sem os passos do passado perder.
Toca o sinal da escola,
está na hora de falar da história,
saber dos que já foram os feitos,
só queria ter a coragem de Heitor no peito,
não temer morrer por tudo aquilo que desejo!

(Para .....)