6 de out de 2010

Manhã de uma Mente Partida

Acordo e me movo,
mas ainda há preguiça,
o tempo e ontem a mente atiça,
mas neste lugar atemporal
que é a mente viva,
uma sirene avisa.
Ontem, hoje e amanhã
se misturam nos desejos
que ainda estão vivos,
do amor que transmuta as palavras,
do sentimento que me move na estrada.
Assim ouço as pessoas falarem,
vocábulos estranhos,
que se apegam
a usos tão diversos
de corpo e tamanho.
Dodecafônica melodia,
que faz meu dormir
parecer inquieta insônia.
Intelectuais dizem da “Pós-Modernidade” ,
mas sinto com veracidade,
que se deseja liberdade,
mas não nos deram uma faca afiada
capas de romper as amarras
de uma vida vivida em uma só morada.
Manhã segue na mente
de um homem que leu muito,
no ingênuo e simples intuito
das palavras serem ação
muito mais que na noite um murmúrio,
uma sombra na multidão.

(Para...)

1 de out de 2010

Ter Sonhos

Chegando quase aos quarenta
me vejo em um dilema,
não mudou muito minha ementa.
Tenho os mesmos sonhos.
Por mais que a velha retórica
os torne enfadonhos,
não importa, teimo e sonho!
A mulher amada,
sempre esperada,
novos e velhos acordes de guitarra,
justiça social amplamente alcançada,
sem o velho socialismo de vanguarda,
só o sorriso da sede saciada!
Escuto o “Clube da Esquina”
numa vitrola antiga,
e sentado aqui envelheço,
mas o sonho parece me tornar jovem
quando de todo coração o desejo!!!!!!

(Para .......)