13 de out de 2013

Monotonia

Meu amor reclama da rotina...
Mas que ritual mais mágico
esse de robar-lhe beijinhos
mordiscados a beira deste lago.

Acordar diaoturnamente a seu lado,
sentir nas costelas seu catucado,
pois meu ronco sincopado
já deixa o vidro da janela trincado.

E fazer sempre a mesma receita,
Servi-lhe sempre no mesmo prato,
E ficar de canto de olho a espreita

do seu sorriso refastelado,
a cama do mesmo jeito feita,
para o gozo sempre remoldado.

12 de out de 2013

História

A minha, a sua
a nossa , a rua,
avenida impura
conto de ficção…

Que tanto os livros amam,
que os homens resignam
em não contar com exatidão
a história em suas mãos.

De tudo que vale a pena,
a maioria foi perdido
no silêncio pervertido

de uma biblioteca escura.
A não ser que se vire a página,
e do relato se faça a cura.