29 de dez de 2010

Maldito Poeta

A maldição do Poeta
é cantar o amor da mulher
que ele não pode ter,
cantar a beleza de um mundo,
que não vai chegar a ver.
Realidade sem completude,
pois falta aos homens a atitude,
de deixar os sonhos solitários,
esse discurso temerário
de que só o “possível”
é o melhor, o acertado,
mas quanto do real é invisível?
Como a força do átomo,
como o desejo represado
de voar como pássaro,
desde a Grécia de Ícaro sonhado,
só por Santos Dumont realizado,
num aparelho estranho,
do que o ar muito mais pesado!
Quanto será mais dito impossível?
Quanto será julgado improvável?
Para depois vermos crianças no ginásio,
mexendo em complexos computadores
como nós outrora brincávamos com baralhos.
O Poeta continua a cantar a bela mulher,
como sempre as coisas que a mão não alcança,
no seu versar ele ardentemente quer.
Então faz da palavra lança,
para atingir o coração que se encanta!

(Para.....)

13 de dez de 2010

De Novo

Tem um dia que é novo,
mas algo de muito antigo
carrego no peito escondido.
Quando ando pelo meio do povo,
vejo o que é velho
ser reprocessado , renovado
do chão ao teto.
E de novo tenho que olhar pra dentro,
ficar repensando e revendo,
tudo que andei, todo esse movimento.
Para redescobrir o que já sei,
quem fui lá no começo, lá atrás,
para agregar mais uma qualidade,
para chegar a um pedacinho de paz.

(Para....)

12 de dez de 2010

Mambembe

Estrada de arte,
que nos leve por onde for,
seja aqui ou em marte,
por caminho de alegria ou dor,
alguns escutarão uma canção,
outros uma reclamação.
O caminho é mambembe,
uma certa arte circense,
de ver no prato caviar,
apesar de saber
que feijão é que está a saborear.
Como um blues da madrugada,
deixo partir a amada,
pois nem uma ilusão
sobrevive a luz da alvorada.
A concretude do gosto do café,
é o que sobra, voltando para casa a pé,
sonha o poeta mambembe
com mais uma noitada
de luzes, sabores e gente.

(Para.....)

11 de dez de 2010

Paracetamol

Onda...
Pontada...
Espasmos....
Tudo como facada
que vem do nada,
ou vem de dentro
da bungunça do corpo dizendo,
a dor se instala num corpo desfalecendo.
Alívio....
mesmo que temporário.
Uma sensação de vazio,
como dia sem canto de passarinho,
tudo muito quietinho,
é assim a dor se indo.
Mas só uma coisa eu queria saber:
Tem paracetamol
para o coração não doer?

(Para......)

30 de nov de 2010

Tempo Vago

Vazio de um segundo,
um instante vagabundo,
ponto entre dois mundos,
alguns fumariam um cigarro,
eu penso, continuo estático.
Num leve cochilo
sonho e divago,
queria estar contigo,
calor do teu coração abrigo,
Sinto o frio desconcerto,
pois um tempo se perdeu no receio,
de não saber viver,
de saber poder,
em outra estação renascer,
sem os passos do passado perder.
Toca o sinal da escola,
está na hora de falar da história,
saber dos que já foram os feitos,
só queria ter a coragem de Heitor no peito,
não temer morrer por tudo aquilo que desejo!

(Para .....)

6 de out de 2010

Manhã de uma Mente Partida

Acordo e me movo,
mas ainda há preguiça,
o tempo e ontem a mente atiça,
mas neste lugar atemporal
que é a mente viva,
uma sirene avisa.
Ontem, hoje e amanhã
se misturam nos desejos
que ainda estão vivos,
do amor que transmuta as palavras,
do sentimento que me move na estrada.
Assim ouço as pessoas falarem,
vocábulos estranhos,
que se apegam
a usos tão diversos
de corpo e tamanho.
Dodecafônica melodia,
que faz meu dormir
parecer inquieta insônia.
Intelectuais dizem da “Pós-Modernidade” ,
mas sinto com veracidade,
que se deseja liberdade,
mas não nos deram uma faca afiada
capas de romper as amarras
de uma vida vivida em uma só morada.
Manhã segue na mente
de um homem que leu muito,
no ingênuo e simples intuito
das palavras serem ação
muito mais que na noite um murmúrio,
uma sombra na multidão.

(Para...)

1 de out de 2010

Ter Sonhos

Chegando quase aos quarenta
me vejo em um dilema,
não mudou muito minha ementa.
Tenho os mesmos sonhos.
Por mais que a velha retórica
os torne enfadonhos,
não importa, teimo e sonho!
A mulher amada,
sempre esperada,
novos e velhos acordes de guitarra,
justiça social amplamente alcançada,
sem o velho socialismo de vanguarda,
só o sorriso da sede saciada!
Escuto o “Clube da Esquina”
numa vitrola antiga,
e sentado aqui envelheço,
mas o sonho parece me tornar jovem
quando de todo coração o desejo!!!!!!

(Para .......)

13 de set de 2010

Clamor

Por que o amor não se contenta?
E chama, mesmo nas noites plácidas,
ele parece ter uma antena,
e tudo a lembrança instiga.

Por que a razão não explica?
Tudo diz pra ser esquecida
essa emoção tão querida,
mas nada é capaz de esvaziar

a alma pelo amor aquecida,
a pele que arrepiada
lembra seu toque de menina.

Desse poema faço meu clamor,
pois impossível me esquecer de ti amor,
meu corpo te quer em flor!

(Para Cristiane)

18 de ago de 2010

Aqui

Tem um tempo
Tem um sonho
Tem um vento...
Alça vôo,
mas sem contento,
Super homem que voa
com sua amada,
é preciso estar ao lado dela
para a vida dar sua revoada.
É preciso que a jabuticaba
esteja na boca eclodida,
para que sua doçura seja sentida.
É preciso a Crisálida estourada
para que a borboleta
no mundo abra sua asas.
Aqui...
É preciso um Poeta & Musa
para que a paixão
não seja surda,
mas sinfonia de silêncio
contida em nosso beijo!

(Para Cristiane)

17 de ago de 2010

Alma Nua

Numa época
onde as partes
andam soltas do todo,
onde um poeta
canta sua musa nos entraves,
e faz seu coração exposto.
Não há coisa mais bela
do que estar perto dela,
mas mesmo em distância
sinto seu hálito a fragrância,
um medo de não saber viver,
um receio de não poder querer,
uma revolta passiva
de tudo unido não ter,
numa vida tão assertiva.
Mas quando anda a rua
a alma está nua,
pois dos olhos não se escapa
lá está demonstrada
a vontade que não desata,
de um dia tudo poder ser!

(Para Cristiane)

12 de ago de 2010

Falar de Felicidade

Antigamente ouvia seu Lupircinio
falar de felicidade em seu raciocínio,
eu era um apaixonado menino,
amante da poesia e dos livros.

Hoje adulto formado,
mas nunca definitivamente acabado,
descobri em Minas, lá para aqueles lados,
uma Moça de sorriso largo.

E a poeisa renasceu em mim
do amor que por ela senti,
minhas palavras o papel passaram a colorir.

E seja riso ou choro,
sempre há o mesmo gosto,
felicidade que deixa o coração bem disposto.

(Para Cristiane)

10 de ago de 2010

Tempo em Ti

Normalmente dizemos do tempo
tudo o quê ele deve ser ou ter,
o fazemos conforme nosso discernimento,
e queremos vê-lo nos satisfazer.

Mas ele é como sinuosa estrada,
as vezes adoça, as vezes amarga,
a boca que o prova, a mente que o guarda,
e também é sonho que nos devassa.

Deste tempo que tenho vivido em ti,
deste tempo que tens vivido em mim,
mesmo as lágrimas tem sido assim,

convertidas em verbais diamantes,
no teu gozo orquídeas fulgurantes,
tempo que sempre nos faz melhor que antes!

(Para Cristiane)

29 de jun de 2010

Madame

Podia ser na Champs Elisé,
um barulhinho de salto fino
anunciando, dizendo de você.
Porém tem cheiro de feijão tropeiro,
de doce viola, o som do leve trino,
que faz da jabuticaba seu tempero.
Um vestido bem cortado,
um blush reforçado,
mas o mais bonito rosado
é das suas bochechas rubras
pelas cachacinhas curtas,
por um desejo em vivo estado!
De Madame tens fina estampa
mas sabemos que és criança,
brincado, fazendo lambança
com a maquiagem da vida,
que reluz sempre na sua retina,
quando fazes um pecado na surdina.
Quando as suas crianças ensina,
que o mundo, como na ópera,
num sorriso se descortina!

(Para Cristiane)

22 de jun de 2010

Sua Falta

O azul do céu exalta
o quanto nessa terra
você faz falta.
O canto dos passarinhos
no frio do inverno,
aqueles que não foram
voando para o norte,
é pressagio de sorte,
da insistente vida
que não se rende a morte.
Assim esse poeta te ama,
dentro e fora da cama,
um andar, um cantar
dos nossos sorrisos emana,
no intervalo de nosso beijar!

(Para Cristiane)

4 de mai de 2010

Permanece

Permanece em meu peito,
negando todo o direito,
como rio que muda de leito,
muda seu traçado para ser melhor,
alcança o mar para correr eterno e maior.
Permanece o sabor do primeiro beijo,
como os braços se procuravam em desejo,
este que fazia queimar e ativar o anseio,
de nos termos o dia inteiro!
Permanece o brilho,
uma canção e seu estribilho,
notas de um amor profundo,
que vejo em tudo,
que pode mudar o futuro!
Permanece em ti meu mundo!

(Para Cristiane)

17 de abr de 2010

O Mundo e os Homens

Desde do Egito antigo
quando Cleópatra
desafiou seus inimigos,
e morreu com mão
enfiada na cesta de figos.
O século e os homens
ditam nossas regras,
criam e destroem quimeras.
Mas sempre houve
um poeta, uma mulher
ou um louco revolucionário,
para dizer e fazer o contrário,
que um grande alivio nos trouxe,
de que o destino não fosse,
essa pedra cinzelada
pela mão pesada de Deus.
E este tão somente
nos deu corações e mentes,
livres de qualquer corrente.
Tão bondoso que não se espanta,
com o que tem o filósofo na garganta,
dizendo que ele já se foi e morreu.
De tantas normas que o homem cria,
altas instituições para lhe servir de guia,
este se perdeu na estrada vazia,
pois disse que o amor
não era o que mais queria,
e sim todas as coisas que ele construía.
E de novo nos ri o tempo dizendo:
Sempre há um poeta
com o coração ardendo,
que leva a poesia pelas entranhas das Geraes,
não arreda o pé e nem volta atrás,
pois no mundo onde o homem tudo faz,
a poesia escrita para a Moça que se ama,
é o que mantém viva da vida a chama!

(Para Cristiane)

12 de abr de 2010

Quando vejo a bola rolar em teu olhar

É como sonho de criança
que num lance tudo alcança,
a bola rolando no tapete verde,
você na corcunda dele,
os dois pressentindo
a alegria do gol eminente.
Quando balança a rede
vibram em puro deleite,
Pai e Filha gritam: Gol!
Como se fosse um louvor,
vibram com o estádio em ardor.
Toda vez que ouço você falar
de como gosta ver a bola rolar,
de como ama na torcida estar,
vejo no fundo do seu olhar,
a menina e o pai as mãos entrelaçar,
esperando o jogo começar.

(Para Cristiane e seu Pai – In Memorium- )

2 de abr de 2010

Palavras para Você

No começo busquei as palavras,
as frases e poemas dos mestres,
tudo que te sorrir fizesse.
Depois as fiz de minha lavra,
compreendi que a paixão tudo abarca,
e este amor forte e raro
devia vir ao papel
pela a invenção de meus vocábulos.
Tracei os mineiros montes
pela luz de tua fronte,
fui das grutas as campinas
guiado pelo teu sorriso de menina,
naveguei nas tuas duvidas
vi o mar revolto,
cheguei ao seguro porto
quando me deitei sobre teu corpo.
Por mais palavras que eu escreva,
tenho sempre a bela certeza,
de que essas três que canto,
exprimem toda tua alegria e pranto:
Eu te amo!

(Para Cristiane)

29 de mar de 2010

Poema Noturno

Um vento frio
que passa pelo estreito
da brecha do telhado vazio.
Filete de ar fino
numa noite onde ouço
das frestas da janela o assobio.
Só uma moldura crepuscular,
pois debaixo das cobertas
estou a me remexer e suar.
Lembro dos beijos de arrebatar,
o coração bate e desperta
toda minha emoção de poeta.
Salto da cama já a compor
um novo poema de amor,
que quebra o gélido torpor
dessa noite de chuva
que faz do verão, inverno.
E este poema é pra dizer tudo,
desse sentimento profundo,
que não passa, não passa!
O frio da noite devassa
como mar em ressaca,
que beija as pedras da costa,
uma corrente quente
que inunda a alma dormente,
faz corar suas bochechas,
faz brilhar suas loiras madeixas,
e toda essa poesia no papel deixa,
esse relato do meu amor.

(Para Cristiane)

19 de mar de 2010

Digo

Não digo, não digo!
Que te desejo entre as linhas que escreves
que lembro de ti entre os intervalos breves.
Não digo!
Que me aperta o peito
quando me pedes fora do leito,
que pronuncie o que já sabes,
o que na minha respiração você lê .
Não digo!
que teus poemas do nosso amar,
fazem as minhas pernas bambear,
que a distancia é só um piscar
quando ouço tua voz me alcançar.
Não digo!
que te amo pra sempre,
pois tenho medo
de ser feliz eternamente.
Quero vários momentos na mente,
um coração que pulsa descompassadamente,
para de ti ir e vir,
tua boca beijar e rechaçar,
correr pela alameda
e nos teus braços me lançar!
Não digo!
O que trago aqui no intimo,
que mesmo impossível
quero que fiques comigo!

(Para Cristiane, ler e declamar)

12 de mar de 2010

Na manhã dos teus olhos

Fechados...
Apertados...
Grudados...
Prestes a deixar a luz entrar,
essa que faz o cérebro ativar.
Luz que pode guiar
mas também pode cegar,
esta que é necessária ao diamante,
faz seu brilho aparecer,
mas ainda mais importante
é para a plantinha que quer crescer.
Em todas as vezes que vi teu amanhecer
tive certeza de que contigo queria viver.
Observando seu doce espreguiçar
soube que estava destinado a te amar.
Mesmo hoje,
seus olhos estando pelas lágrimas turvos,
lidando com antigos vultos,
tentando viver no passado e no futuro,
existe esse poeta lhe dizendo
que nas manhãs ausentes,
seus olhar estará comigo sempre presente!

(Para Cristiane)

11 de mar de 2010

Aprender

Nessa hora tão difícil
onde um amor puro
parece proibido vicio,
necessário o mestre aprender
que vivemos de livre arbítrio.
Professora Menina
volta a estudante mesa,
para ver e na pele saber
que o mundo gira concerteza,
e nesse movimento estamos enredados,
loucura é não perceber
o que dentro está mudado,
tentar manter o velho quadro.
Aprender é necessário
um novo itinerário,
seja para Norte ou leste
mais importante que a roupa
que o corpo veste,
é alma que se despe
de preconceito ou medo,
e vê o amor que se leva
pela ponta dos dedos,
com a aurora se eleva.
Deixo aqui minha lágrima de poeta,
para que a recolha num beijo
de amor além da estratosfera!

(Para Cristiane)

A Moça de Minas & Robin Hood

Um dia uma Moça de Minas,
linda , doce, com brilho na retina,
cruzou o caminho, entrou na vida
de um homem que vivia sua rotina.
Resgatou um menino
que nos seu coração vivia,
fez nascer apaixonada poesia,
um novo poema todo dia,
nascia uma nova emoção
dessa linda transgressão.
Pois no reino um rei já existia,
que não cuidava muito dessa menina,
que nos seus sonhos de Rapunzel
tocou a alma desse poeta com mel.
Robin Hood carioca
logo bateu a sua porta,
a convidou para andar na Lapa do bosque,
mostrou sua habilidade com arco e bodoque,
os dois se amaram com afagos e beijos
os passarinhos os saudavam com seus gracejos.
E esse louco beatnick
também pode ser chique,
escreve artigos para que no papel fique
suas idéias sobre mansões e casas de pau a pique,
sobre os mundos dentro desse mundo,
sobre as preocupações de sua amada com o futuro.
Pede que perceba a Moça,
que se pode mudar de casa
sem quebrar a louça.
Sabe que não pede coisa pouca,
pede a indispensável felicidade
que os descrentes e infelizes
dizem não existir, ser atitude louca,
mas há sim para os que são do amor aprendizes,
existe toda vez que beijo sua boca!

(Para Cristiane)

7 de mar de 2010

Chegar em BH

Chegar a BH!
Prazer maior não há!
pois meu amor lá está.
E com seus carinhos
me faz encontrar
a cultura daqui e todos os seus ninhos.
O gosto do queijo caipira
que faz engrossar minha saliva,
o doce leite que derrete
na minha boca a teus beijos
em lindo sonho me remete.
O estalar do crocante torresmo,
se perder amando-se a esmo,
passar abraçado o dia inteiro,
até o relógio se faz preguiçoso
andando devagar e lento,
fazendo o amor mais gostoso
quando esquecemos do tempo.
Nesta cidade longe do mar
que passo a cantar,
pois aqui o amor venho tocar,
sinto a poesia nas pedras,
no calçamento antigo das ruas,
e a Santa Teresa passo a rogar,
pois no alto do morro sempre ela está,
peço que minha Musa proteja
e no seu coração eu sempre esteja!

( Para Cristiane)

1 de mar de 2010

Encomenda

Ah Seu Carteiro!
nem sinal da encomenda o cheiro.
espero numa tarde de fevereiro
olhando as nuvens de aguaceiro.

Na verdade o que há no pacote
não tem tanta importância,
quero sentir a fragrância
das mãos , do suave toque

que o ar da caixa guarda,
um perfume de mão enamorada,
mimos de dama encantada,

nesse recipiente está encerrada
sua doçura materializada,
que de longe me é enviada.

(Para Cristiane)

26 de fev de 2010

Pois bem

pois bem....
Na manhã das gotas de chuva
onde um poeta lembra de sua musa,
a cama é um continente
a ser descoberto por essa vivente,
deslisando pelos lençóis docemente
te procuro pela minha mente,
te encontro aqui dentro,
aqui no pulsante coração
e grito pra ecoar nesse mundão:
Te amo de Montão!


(Para Cristiane)

25 de fev de 2010

Apaixonado

Andava eu pelas ruas do Rio
assim meio destraído,
como podia eu pensar
que numa estrada de bytes
eu iria te encontrar.
As belas letras
fizeram-nos ver estrelas,
não as lá de cima,
mas as que dançam nas vielas,
que te fazem linda e bela
quando samba a luz delas.
Através de teu vestido rodopiante,
pude ser de tuas pernas amante,
pelo seu falar empolgado,
me conduziste pelo teu campo
de sonhos plantados,
lugar de onde te escrevo enamorado.
Sou teu biógrafo versante,
pois por ti me tornei de novo infante,
redescobri alegria de escrever,
de apaixonado por ti viver!

(Para Cristiane)

23 de fev de 2010

Um Lugar...

Há um lugar...
está fincado no peito,
mas também anda nos beijos,
toda vez que tua terra
aparece na televisão
seu hálito surge de sopetão,
um misto de saudade e gratidão,
pois sem você não haveria emoção.
Esse lugar...
cabe na palma da sua mão,
também é toda imensidão,
onde batalhas são travadas,
ao mesmo tempo sua morada
de alegria iluminada!
Nosso lugar...
que traz na porta de entrada
a luz da lua na sacada,
a vida reinvetada
num samba espalhado na calçada,
esse lugar é nossa jornada.
Advinha que lugar é esse então?
É nosso coração!

(Para Cristiane)

17 de fev de 2010

Noite com você

Ouço os acordes de Dolores
nessa noite, e em todas, te quero bem,
quero enfeitar teus cabelos com flores,
para teu amor dizer amém.
Quero sentir seus odores
e provar teus sabores,
toda vez que te vejo
são novos os humores,
nova forma de um mesmo amor
que se renova como da manhã flor.
E nada é mais precioso
do que estar com você,
os sinas do teu corpo ler,
o teu beijo nos lábios reter,
nos teus olhos ver o prazer,
pois nada é melhor
do que todas as noites com você!

(Para Cristiane)

Bom Dia!

Se diz assim automaticamente,
no vagar por toda essa gente,
que no dia a dia esbarramos,
nos lugares onde vamos.

Mas este simples vocábulo
muda de sentido num estalo,
quando de um sorriso largo
vem inesperadamente acompanhado.

Bom dia! Você alegre me diz,
transforma o dia triste em feliz,
a vida que anda monótona

renasce como a luz da aurora,
o amor nesse ser brota,
teu bom dia é beijo que me toca!

(Para Cristiane)

16 de fev de 2010

Ponteio do Carnaval

Eu aqui nesse calor infernal
na cidade do Rio 40 graus,
vejo a alegria do povo
fielmente seguindo o corso,
maravilha popular deste carnaval.
Toca aquele que não respeita distância,
meu coração dança sincopado
quando ouço seu trinado.
É Musa a contar
de um foliar diferente
de viola caipira com samba na mente,
invadindo o reino de Momo docemente.
Nesse ponteio no meio da praça
a Musa desfila sua graça,
seu sorriso a alegria não disfarça.
Ela dança até doerem os pés
e vermelha fica sua linda tez,
suas escudeiras estão com ela,
na sua noite só falta uma coisa bela,
ela liga pra dizer que ama esse poeta!

(Para Cristiane)

13 de fev de 2010

Sussurrante

Num suspiro furtivo
sinto teu estremecer,
som de desejo vivo
que me faz arder.
Cruza as montanhas
esse teu gemido,
que com um estampido
revela vontade tamanha.
Tu me faz homenagem
acariciando o pomo da libido,
tens em tua mente a imagem
do meu corpo de prazer retorcido,
que tem as paredes como testemunhas
de todo esse nosso alarido,
minhas costas lembram das tuas unhas,
meus lábios dos teus dentes,
que marcaram veementes
todo esse amor da gente!

(Para Cristiane)

11 de fev de 2010

Partes

Um passeio ao sol da tarde,
um sorvete de pistache,
um texto fazendo tempestade
no cérebro que quase arde.
Tudo que se faz a vontade,
um passeio no Saara,
a comida árabe adorada,
comprar contas e badulaques,
ver você passar o batom escarlate.
de todas essas coisas queridas,
que no meu corpo estão vivas,
que na minha pele são sentidas,
a melhor é saber que és minha
e de toda essa poesia você é a melhor parte!

(Para Cristiane)

Morrer & Renascer

Na pétala que o orvalho toca
que logo no solo estará morta,
na crisálida que é da lagarta sepulcro,
mas trará a nova borboleta ao mundo,
no vulcão que a terra devasta,
traz nova fertilidade com sua lava.
A revolução da tuas pernas
que abraça meu quadril na hora certa,
trás ao beijo novo viver.
Cada célula de pele
que no teu banho esfolha,
abre espaço para uma nova.
O céu que teu olhar explora,
infinita vida e morte
que vislumbramos toda hora,
bailar espacial da sorte,
de mundos fulgurantes
que nos lembram mesmo distantes,
do morrer e renascer em construção,
que vive nosso coração!

(Para Cristiane)

6 de fev de 2010

Você é...

você é:
aquela que passa da madrugada à manhã
faz todo o desatino, toda loucura sã
faz o guerreiro desafiar satã,
com Santa Bárbara e os raios de Iansã
combatemos o medo e derrota,
fazemos da dor uma nova rota
de alegria e esperança,
pois no meio da tempestade
vislumbramos a bonanza
que está no sorriso de quem se ama!
te amo!

(Para Cristiane)

4 de fev de 2010

A Moça e o Poeta

Assim nada de incomum,
haver amor desse jeito
se procurar em lugar algum,
andando-se por caminhos e estreitos,
talvez se ache parecidos trejeitos.
Essa história todavia
está em alta companhia,
pois o poeta a escreve com ousadia,
e louva sua Moça mais que Ave Maria!
De Tristão traz a bravura,
luta por essa paixão
mesmo que uns digam que é loucura.
Com Heloisa aprende a entrega,
na espera à esperança se apega,
nas horas aflitas escreve mais poesia.
Ouvindo o aldaz Orfeu
descobre que nada nesse mundo
é realmente seu,
se não viver o amor que Deus lhe deu,
que vale a pena descer a terra de Hades,
contrariando os homens a vontade.
Moça e Poeta
constroem uma estrada aberta,
de possibilidades repletas,
enquanto seus lábios se procurarem,
enquanto seu amor realizarem,
no leito que os espera!

(Para Cristiane)

3 de fev de 2010

Amar assim...

O dia só é dia
quando teu sorriso amanhece,
se não é noite ainda
e nos meus braços
teu sono permanece.

A tarde só da sua graça
quando anunciada
pelo cheiro da tua pele jabuticaba,
se não a manhã fica emperrada
no salivar da boca que se quer beijada.

A noite, esta é nossa morada!
Nada pode impedir sua chegada,
seus passos te trazem enamorada,
para fortemente nos amarmos assim
com gosto de limão- jasmim!

(Para Cristiane)

31 de jan de 2010

Amor & Razão

Ah! Que confusão!
Pensar em tudo com lúcida razão,
porque tem batendo aqui no fundo
um vivo e ardente coração.
E quando se olha esse mundo,
enredado em conflituosos assuntos,
o amor sempre por ultimo,
mas este se revolta
e um poeta bate a sua porta,
as regras as normas entorta.
Faz ressoar uma antiga nota,
o sorriso de menina traz de volta!
Diante de tamanha emoção,
se desenrola a situação,
e num poema de Pascal,
com brilho sem igual,
se transforma a razão,
se revelando em beijo e paixão!

(Para Cristiane)

25 de jan de 2010

Saudade em Poesia

No coração tem irmandade,
habita os versos de Pessoa,
atinge a todo homem
mesmo em suas diversidades,
move a vontade de uma Leoa.
E assim no falar dos poetas,
na mente do cidadão comum
está viva e repleta.
O pedreiro na obra,
a rendeira que borda,
o rico que o bolso engorda,
todos estão juntos nessa hora,
quando a emoção vem pra fora
e nos lembra um simples odor,
toda a felicidade e frescor,
deste sentimento que é a saudade,
que só se parece um pouquinho com a dor,
mas tem sua verdadeira afinidade
com toda forma de amor!

(Para Cristiane)

24 de jan de 2010

De volta ao campo

Lá vai a musa
vestindo seu adorado manto
desfilando as cores negro e branco,
como o radinho sempre no ouvido,
sem perder o menor lance
da bola em seu rodopio
está ligado em todo instante.
Mesmo se o resultado
não é assim do seu agrado,
sempre há o próximo certame,
e ela estará no campo
torcendo para que seu time ganhe,
mais uma vez o braço estendido
comemorando um gol bonito.

(Para Cristiane, Musa e torcedora)

21 de jan de 2010

Com os pés no mar

Aqui entre o concreto
amparo o suor salgado
que na testa vem aflorar,
queria estar ao seu lado
com os pés no mar.
Nossas mãos entrelaçadas
vendo as gaivotas mergulhar,
na sua boca doce e molhada
a sede dos beijos saciar.
Passear sem hora para voltar,
ver do sol a vermelhidão,
que convida as estrelas
a tomar conta do celeste pavilhão,
assim vê-las, lindas, refletidas
nos seus olhos que me olham
com desejo e paixão!

(Para Cristiane)

18 de jan de 2010

Celular

Um dia foi um sonho da ficção
das viagens estalares de um capitão,
ter um pequeno comunicador de mão,
assim também com Icaro o homem sonhou,
e só com intrépido Dumont o ele voou.
Agora no bolso tenho essa caixinha,
falar em qualquer lugar, coisa que não se tinha,
mas confesso, de todos os seus usos,
para o caração talvez se tenha o melhor fruto.
Passo o dia a tarefas realizar,
mas estou sempre atento, esperando escutar
sua campainha estridente vibrar,
saber que meu amor está a chamar!
Para ela me dizer de sua saudade,
de como queria estar na cidade,
para seus beijos pessoalmente me dar,
para seu amor de corpo presente me entregar!

(Para Cristiane)

15 de jan de 2010

Cadê essa Moça?

Cadê essa moça?
Que faz a poesia brotar com força,
e me da uma vontade louca
de beijar-lhe a boca!

Onde está a Professora?
Dos infantes instigadora,
linda investigadora,
da leitura promotora!

Onde está a menina
que cheira a jabuticaba,
que o paladar do poeta água,

que faz a palavra renovada
toda vez que em amor o abraça!
Ela está em qualquer coisa que se faça!

(Para Cristiane)

13 de jan de 2010

Mais uma canção

Quando vibram as cordas
do surrado violão,
toco para passar as horas,
para te fazer mais uma canção.

E se meu estribilho
não é todo perfeição,
não perde brilho
pois é todo emoção!

Tem o tempero a ser descoberto
no vagar do cozimento certo,
um olhar terno e discreto,

que faz subir labareda até o teto,
que da o aviso macio
a tua pele num lindo arrepio!

(Para Cristiane)

11 de jan de 2010

Musa & Mar

Quando o sol seu corpo rosear,
as espumas do salgado mar
suas pernas a acariciar,
uma saudade a ti tomar!

Eu estou contigo,
por mais que seja estranho,
estou na água do seu banho,
pois no teu coração estou contido.

Nas luzes cadentes do anoitecer,
com a primeira estrela a aparecer,
admiro o seu andar, seu viver,

estou logo ali no radinho,
num verso pequenininho
que fala do seu enorme querer!

(Para Cristiane)

9 de jan de 2010

Do que vive a poesia

Em Shakespear cantava a cotovia,
numa sacada clara e vazia,
o amor dos jovens preenchia.
Concreta atitude modernista,
a palavra é bailarina
espalhando pelas paginas sua crina.
E aqui trago minha escrita
que sutilmente rabisca
no papel um rir de menina,
no coração vontade de mulher,
na profissão a mestra que quer
fazer um aluno entender
a magia que é escrever.
Desse doce substrato
tenho feito meu traçado,
versando o cotidiano
dessa Moça de Minas,
alma e corpo que amo,
que me traz todo esse encanto!

(Para Cristiane)

6 de jan de 2010

Em dia de Reis

Foi nesse dia que Deus te fez,
no dia em que Jesus
encontrou os grandes Magos Reis,
mas o menino Deus é boa praça
e contigo partilhou sua graça.
Baltazar trouxe ouro,
no mesmo tom te destes
lindos cabelos loiros.
Melquior trouxe incenso,
que purifica o ar
e faz lindo teu sorriso imenso.
Gaspar trouxe mirra,
perfume de planta fina
que o cheiro da tua pele inspira.
Com estes dons e presentes
o menino dividiu contigo
sua alma imanente,
cativou esse poeta
para todo o sempre!

(Para Cristiane)

4 de jan de 2010

No meu violão

Nos acordes que dedilho,
ressoa sempre em meu bordão,
um que de luz, um que de paixão.
Vou alinhavando minha canção
com os ares desse rincão,
onde mora minha dama,
que tem cheiro de montanha,
feito de risada que não se acanha,
feito de temperos do Mercado,
que ela reúne com cuidado
para com amor fazer um prato.
Minha humilde toada
vai no ritimo da Maria Fumaça,
que antigamente passeava com graça,
pela serra vinha fazendo sua algazarra.
Minha ultima estrofe
vem agradecendo a boa sorte,
de antes de encontrar a morte,
sentir no peito bem forte,
ter nas minhas mãos seu decote,
amar além do que se pode,
sem medo soar nosso acorde!

(Para Cristiane)

Juntando Poetas

De Neruda

pego alma desnuda,

um soneto apaixonado

que diz do cantar emocionado.

De Lorca

o que o coração provoca

gazel da intima hora,

o verso cigano mundo a fora.

De Vinicius

os eternos mimos

e todo seu lirismo,

de um garoto na praia andando,

feliz sorridente e cantando

de bem com o mundo e consigo.

Junto tudo isso ao amor que por ti sinto,

misturo com firmamento infinito,

dou uma passada no samba,

trago as coisas que você ama,

e está o seu poeta pronto,

fazendo poesia de nosso encontro!


(Para Cristiane)

1 de jan de 2010

Ultimo Minuto

Já se anunciava pela baderna
fogos explodindo iluminando a terra,
aqui dentro meu próprio estremecer,
eu pensando somente em você!
Logo após o ano romper,
sinto no bolso o celular tremer,
escuto sua linda voz a dizer
que mais um ano novo
sem mim não quer ter!
Nos meus braços quer encontrar
as bênçãos do ano a iniciar,
que recaiam sobre nosso amar.
Fizeste linda e lúdica felicidade,
nunca vista em minha mocidade,
e lhe digo com toda verdade,
musa e mulher como tu
nunca tive em qualquer idade!

(Para Cristiane)