29 de jun de 2010

Madame

Podia ser na Champs Elisé,
um barulhinho de salto fino
anunciando, dizendo de você.
Porém tem cheiro de feijão tropeiro,
de doce viola, o som do leve trino,
que faz da jabuticaba seu tempero.
Um vestido bem cortado,
um blush reforçado,
mas o mais bonito rosado
é das suas bochechas rubras
pelas cachacinhas curtas,
por um desejo em vivo estado!
De Madame tens fina estampa
mas sabemos que és criança,
brincado, fazendo lambança
com a maquiagem da vida,
que reluz sempre na sua retina,
quando fazes um pecado na surdina.
Quando as suas crianças ensina,
que o mundo, como na ópera,
num sorriso se descortina!

(Para Cristiane)

22 de jun de 2010

Sua Falta

O azul do céu exalta
o quanto nessa terra
você faz falta.
O canto dos passarinhos
no frio do inverno,
aqueles que não foram
voando para o norte,
é pressagio de sorte,
da insistente vida
que não se rende a morte.
Assim esse poeta te ama,
dentro e fora da cama,
um andar, um cantar
dos nossos sorrisos emana,
no intervalo de nosso beijar!

(Para Cristiane)