18 de nov de 2013

Pensar-te

Pensar-te.
Assim grega ilha.
Então disparate!
Pois és baianinha
apesar , de Afrodite, o disfarce.

Pensar-te.
Vociferando indignada,
contra tanta coisa errada,
contra o mundo
que não faz nada.
Para depois ver-te
num sorriso aconchegada,
moleca, menina levada.

Agir-te.
Ao teu encontro
alegre me ponho.
Quero beijar-te,
buscando aquilo
que marotamente
me negaste,
e com força aguardo
que a esperança
nunca mate.

Um comentário: