2 de dez de 2013

Telas

Te vi assim tão faceira,
mas era de outra maneira,
em algumas polegadas
sua figura espalmada
na tela desta maquina.
Quanto tempo faz
que não vejo
seu sorriso sagaz?
Teu cheiro seu perdeu
no soar de um bocejo,
e com tantas telas,
não sei mais qual era
meu primeiro desejo.
Assim tem gente
que nem sei mais
se nesse mundo é vivente.
Me perco e me acho
nos bytes dessas telas,
mas nem de longe
tenho a felicidade
de Toquinho
cantando sua Aquarela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário