11 de ago de 2009

Caminho

Até aqui
olho para traz,
visto as centenas de personagens
que usei para sobreviver.
Persigo um ideal
que na verdade me persegue.
Como uma pizza e a vida segue,
não como queria,
nem como num sonho seria,
somente como poderia.
Num dia sem muita pretensão
li seu recado,
você saiu da multidão.
Dizendo, falando, dando opinião.
Mudando o quê de vazio,
outrora havia neste coração.
Me despi de pudores,
desliguei meus censores
e te segui sem pensar nas dores.
Porque dor em grande verdade,
é não saber de teu sorriso,
não perceber quando a bochecha arde,
quando te digo como o sino bate.
Em tudo isso não sei bem o caminho,
e nisto reside nossa maravilha,
pois o que parece uma ilha,
se revela continente,
a medida que nosso terno amor,
como curioso menino,
explora o ambiente.

( Dedicada a Cristiane)

Nenhum comentário:

Postar um comentário