22 de ago de 2009

Sonho de Vandré

Hoje acordei do sonho
de Geraldo Vandré,
fui andando pelas ruas a pé.
Eu professor apaixonado
pelo oficio, pela missão
firmemente compromissado.
Vi fuzis, vi granadas
mas não eram revolução
nem luta armada,
crianças descalças
quase sem nada,
nas mãos armas
de uma causa já derrotada.

Vi minha linda escola
suja e maltratada,
de recursos desprovida,
maltrapilha e surrada.
Contudo, ao entrar
reencontrei meus colegas,
incansáveis, sem dar trégua,
permaneciam lá
com seus compassos e réguas.
Um me saudou:
- Que bom te ver camarada!
Estamos aqui de guarda,
Pois quando o dia de novo raiar
Nós construiremos uma nova estrada!

Segui meu caminho
a tudo observar.
Vi a política se transformar
para se perpetuar.
Vi o pobre mudar de cara,
mas não de lugar.
Vi o Jardim das Iniquidades
que as pessoas passeavam
a se cumprimentar.
E voltei a sonhar,
que com minha poesia e caminhar
um dia tudo isso eu possa mudar!

Um comentário:

  1. mto inspiradores seus pensamentos poéticos, Marcão... gostei de ver...

    ResponderExcluir