25 de ago de 2009

Saber

Andando no ônibus,
passa um carro igual ao seu,
olhando esse homônimo
me pergunto:
Onde está o amor meu?
No almoço
o fritar do bife ouço,
relembro sua preferencia,
de como gosta a consistência.
Passo pela confeitaria,
quantos quitutes e iguarias,
penso como sua boca ficaria.
Ando pela cidade
e em tudo há seu toque,
porque na verdade
meu coração explode,
de você a vontade
de a todo minuto ti saber!

(Para Cristiane)

Nenhum comentário:

Postar um comentário