27 de set de 2009

Nosso Caminho

Quando reunia eu histórias,
lições da memória,
pálidas paginas vazias
de emoção e poesia,
você apareceu no meu caminho.

A cada, então, história jocosa
ouvia sua gargalhada ruidosa,
seu comentário fino e perspicaz
me revelava seu temperamento sagaz.

Na primeira poesia declamada
ouvi ruidosa disparada,
sua respiração fortemente acelerada
avisava da paixão encomendada.

Na cidade pela Guanabara banhada
fizemos amor na invernada,
transformamos palavras digitadas
em alegria de pele arrepiada.

Mas de que um fim de semana,
descobrimos de onde a paixão emana,
desse descobrir-se em si pelo outro
encontrando um farto tesouro.

As duvidas aparecem como sino
estalando na mente, zunindo,
mas estou certo do que sinto
sei que o amor não está extinto

Por mais percalços que tenha o caminho
no teu coração fiz meu ninho,
sei que mesmo que tu em silêncio
não me deixas caminhar sozinho!

(Para Cristiane)

Nenhum comentário:

Postar um comentário