29 de set de 2009

Falar, ouvir & amar

Falo do intrépido Aquiles,
da astúcia de Alcebíades,
tu falas de crianças aprendizes,
de façanhas diárias audazes.

Ouço seu peito rufar
quando no meu peito está,
escutas atenta meu recitar
declamando a cidade a passar.

Hora vespertina
teu hálito preguiçoso de manhãzinha,
quando no meu corpo se aninha,
te amo, e és toda minha!

(Para Cristiane)

Nenhum comentário:

Postar um comentário